Família: Aicme na Forfeda

As “letras extras” são chamadas de ditongos vocálicos e reorganizadas posteriormente por oghamistas. Neste estudo, iremos nos conectar de forma poética às cinco Forfeda como se fossem chaves que abrem portais de sabedoria, apresentadas no “Lebor Ogaim” e nos textos modernos, apesar das questões problemáticas das suas associações. A família Aicme Forfeda, provavelmente, representa sons que estariam faltando no alfabeto original.

Sabemos que o principal uso do Ogham, pelos druidas modernos são para fins oraculares, por meio dos símbolos do Ogham mencionada em “Tochmarc Etaine” (O Cortejo de Etain), um conto do Ciclo Mitológico Irlandês. Na história, o druida Dallan pega quatro varinhas de Teixo e escreve letras oghâmicas nelas, o “oghumm”. Ele as utiliza como ferramentas de divinação. O conto não explica como os gravetos são manuseados ou interpretados, mas a partir deste momento serão conhecidas como as chaves do conhecimento, a “eochraib écsi” – que abrirão a Janela de Fionn.

A seguir, um breve resumo do estudo e do aprofundamento meditativo do Fidnemed de cada Forfid.

ÁLAMO: A ÁRVORE DO EQUILÍBRIO

Letra correspondente: EA/CH
Variação: Ebad/Éabhadh

Pronúncia: É-vad
Inglês: Coad (Salmão)

Palavra-chave: Bosque sagrado e conexões. Unidade e consciência.

Mensagem: Simboliza todo conhecimento que se encontra no passado, presente e futuro, o domínio da natureza. Presságio: a mudança interior e o despertar da sabedoria. O bosque e suas infinitas possibilidades. Invertido: Confusão e perplexidade.

Bríatharogam Maic ind Óc: cosc lobair, “[repreensão?] do doente”.
Bríatharogam Con Culainn: caínem eco, “mais belo peixe”.
Bríatharogam Morainn mac Moín: snámchaín feda, “letra boa nadadora”.


EVÔNIMO: A FORFID DA PROSPERIDADE

Letra correspondente: OI/TH
Variação: Ór/Oir

Pronúncia: Órr
Inglês: Gold (Ouro)

Palavra-chave: Prosperidade e inteligência. Disciplina e compromisso.

Mensagem: Simboliza a iluminação, a transformação radical, o clarão do relâmpago e a mudança súbita. Presságio: a prosperidade necessária, o movimento por forças externas e a tomada de decisões. O fuso, a riqueza e o valor. Invertido: Paciência e preparação.

Bríatharogam Maic ind Óc: lí crotha, “esplendor de forma”.
Bríatharogam Con Culainn: nenhuma referência.
Bríatharogam Morainn mac Moín: sruithem aicde, “substância mais venerável”.


MADRESSILVA: A FORFID DO ENCANTO

Letra correspondente: UI/PE
Variação: Uilenn/Uillean

Pronúncia: Úll-yean
Inglês: Elbow (Cotovelo)

Palavra-chave: Foco e clareza. Segredos revelados.

Mensagem: Simboliza a proteção entre os mundos, ramificar-se e prosperar, vencer perturbações e desafios. Presságio: o segredo e o mistério que deve ser vivido e não explicado. Flexibilidade e mudança. Invertido: A situação não é o que parece.

Bríatharogam Maic ind Óc: cubat oll, “grande cotovelo/antebraço”.
Bríatharogam Con Culainn: nenhuma referência.
Bríatharogam Morainn mac Moín: túthmar fid, “árvore fragrante”.


GROSELHA: A ÁRVORE DA DOÇURA

Letra correspondente: IA/PH
Variação: Ifín/Iphín

Pronúncia: I-fen
Inglês: Beech (Faia)

Palavra-chave: Concentração e discernimento. Sucesso e bem-estar.

Mensagem: Simboliza o conhecimento antigo, concentração no passado para entender o presente e o futuro. Presságio: a cura divina que vem de dentro com serenidade. A doçura da vida, associada ao mel. Invertido: Ignorância e falta de atenção.

Bríatharogam Maic ind Óc: amram mlais, “sabor mais maravilhoso”.
Bríatharogam Con Culainn: nenhuma referência.
Bríatharogam Morainn mac Moín: milsem fedo, “mais doce árvore”.


HAMAMÉLIS: A ÁRVORE DA MUDANÇA

Letra correspondente: AE/XI
Variação: Emancholl/Eamhancholl

Pronúncia: Éw-an-rroll
Irlandês: Mór (Gêmeo da Aveleira)

Palavra-chave: Experiência e Oportunidade. Transcendência.

Mensagem: Simboliza o mar, a água de proteção que afasta as más energias e purifica. Presságio: profundidade, amadurecimento, decisões, revelações e finalizações. A chave do Outro Mundo. Invertido: Rupturas e términos súbitos.

Bríatharogam Maic ind Óc: mol galraig, “gemido do doente”.
Bríatharogam Con Culainn: nenhuma referência.
Bríatharogam Morainn mac Moín: lúad sáethaig, “gemido do doente”.

Fontes de Pesquisa:
Ogham por Bellouesus Isarnos.
Chaves da Sabedoria – Searles O’Dubhain.

Palavras inspiradas numa conversa com uma druidesa do caminho… Assim como em uma floresta, cada árvore tem a sua característica e cresce em ritmo próprio, não interessa se é mais alta ou se está adiante das demais, se dá frutos mais saborosos ou flores multicoloridas. Cada uma tem a sua função, graça e beleza. Nesta jornada, aprendemos que o respeito e a dedicação são muito importantes, pois ninguém é grande demais que não tenha o que aprender e nem tão pequeno que não tenha o que ensinar. Que assim seja!

Agradecimentos aos monitores do Fidnemd: Hėnrique Mathias, Carmo Tavares, Eric de Gusmão e Ávillys Mac Mórrigan. Go raibh maith agat… Obrigada!

Leia também: O Quinto Aicme. Voltar ao índice: Estudos Ogham – Caer Siddi.

Bibliografia Recomendada:
• ELLISON, Robert Lee. Ogham: The Secret Language of the Druids. Ed. ADF.
• FERES, Osvaldo. Ogham O Oráculo dos Druidas. SP: Ed. Alfabeto, 2018.
• LAURIE, Erynn Rowan. Ogam Weaving Word Wisdom. Megalithica Books, 2007.
• MATTHEWS, Caitlin. Celtic Wisdom Sticks. Londres: Ed. Connections.
• MULLER, Mickie. Voice of the Trees. Minessota: Llewellyn Publications.
• O’BRIEN, Lora. Tales of Old Ireland. Eel & Otter Press: Amazon.

Rowena A. Senėwėen ®
Pesquisadora da Cultura Celta e do Druidismo.

Website:
www.templodeavalon.com
Brumas do Tempo:
www.brumasdotempo.blogspot.com
Três Reinos Celtas:
www.tresreinosceltas.blogspot.com

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon : Caer Siddi e seus respectivos autores. Referências bibliográficas e sites consultados na pesquisa dos textos, clique aqui.

"Três velas que iluminam a escuridão:
Verdade, Natureza e Conhecimento." Tríade irlandesa.