A Mórrígan e suas Irmãs

Original: “The Mórrígan and her Sisters”.
Por Lora O’Brien[1] & Tradução de Ávillys mac Mórrigan.
Disponível no Blog Lora O’Brien. Tradução autorizada pela autora.

Nota do tradutor:

Lora O’Brien desenvolve na Irish Pagan School cursos de conexão e aprofundamento com os deuses irlandeses e na sua própria prática do paganismo irlandês, fornecendo fontes incríveis para estudo, aprofundamento e pesquisa.

Esse texto nasce em resposta a uma questão muito importante na compreensão das Morrigna (As Morrigans): seriam todos os nomes aspectos ou arquétipos da mesma deidade? Apesar de parecer simples a resposta, ela não o é. Os relatos míticos e as descrições dos manuscritos não nos deixa pistas muito claras de como os irlandeses responderiam essa pergunta no passado. Na verdade, ao comparar as citações e passagens, mais dúvidas levantamos.

O que Lora propõe é entender essa relação e essa deidade também numa ótica mais moderna, mais próxima de nossa realidade e jeito de pensar o mundo, entendendo-as como uma e como várias simultaneamente. Esse paradoxo é plenamente possível quando se vivencia uma relação mais próxima com pelo menos duas das Morrigna, mas requer igualmente uma abstração para compreensão da articulação dessas deidades num âmbito mais geral, profundo e de difícil explicação.

Lora O’Brien oferece alguns cursos sobre Morrigan, sua deusa de devoção, e as Morrigna na Irish Pagan School, que são extremamente recomendados para aqueles que buscam se aprofundar e conhecer melhor essa deidade. Infelizmente para muitos, são totalmente em inglês e pagos na cotação do Euro.

A Mórrígan e suas irmãs
The Mórrígan and her sisters

Por Lora O’Brien. Tradução de Dartagnan Abdias.

Como parte do nosso anual Programa Intensivo de 6 meses [oferecido pela Lora O’Brien para a Irish Pagan School], eu respondo questões de estudantes que querem saber mais sobre a deusa irlandesa Mórrígan, com quem eu tenho tido uma sólida relação de trabalho por esses 15 anos agora… e os últimos 13 deles como Sua sacerdotisa.

Oito desses anos foram passados em serviço diário (e desenvolvimento profissional) administrando Seu principal sítio em Rathcroghan, Co. Roscommon (Irlanda), e guiando visitantes para dentro (e com retorno seguro) da caverna conhecida como “sua adequada morada”; Uaimh na gCait, Oweynagat – a Caverna dos Gatos.

Eu vou dividir, ocasionalmente, algumas dessas respostas no meu blog pessoal.

Iníon Preacháin perguntou: “De Badb, Macha, Anu/Anand, Nemain, Fea e, em algumas listas também, Danu… você percebe elas todas como aspectos das Morrigna?”

Ok, “as Morrigna” representam o plural, portanto, sim, elas todas representam aspectos de Na Morrigna, como Grande Rainhas – que é o que Morrigna escrito dessa forma significa. Eu sempre faço uma distinção entre Na Morrigna, no plural, ou A Mórrígan, “An Morrighan”, a Grande Rainha, então esse seria minha percepção sobre isso.

Como eu disse – em uma postagem anterior do meu blog – aspectos não são um termo que eu usaria especificamente. Eu enxergá-las-ia como irmãs, e algumas mais intimamente relacionadas do que outras. Na minha experiência.

Macha é, eu sinto, a mais próxima a ela, e eu tenho um foco, um interesse e uma perspectiva, suponho, em Mórrígan e Medb – Rainha Medb de Connacht. E trabalhei com ambas figuras muito poderosas de Ratchcroghan por muitos anos. Elas trabalham muito juntos, na minha experiência, e ambas alimentam a soberania de Connacht, a província ocidental da Irlanda.

Macha é a soberania, ou representa a soberania de Ulster, província nortenha da Irlanda, Connachr e Ulster têm um relacionamento um pouco conturbado na mitologia. Eu digo, qualquer um que tenha lido o Táin Bó Cúailnge (“O Roubo do gado de Cooley”) estará ciente, Ulster e Connacht foram inimigos por muito tempo. Então, há muita coisa acontecendo lá e, de todas as irmãs, Macha, para mim, sempre foi a mais bem descrita e distinta de Mórrígan.

Nemain, eu penso, é uma ancestral, e eu penso que todas essas deidades que estão lá, em um sentido podem ser aspectos no entendimento literal dessa palavra. MAS, elas são todas personalidades e deidades por seu próprio direito. Elas sendo aspectos da Grande Rainha, que isso se alimenta e se mescla, mas eu penso que elas estão trabalhando em diferentes níveis, se isso faz sentido.

Então, você tem esse tipo de camada superficial para ser capaz de interagir com todas as personalidades individualmente. Você desce um pouco mais na raiz desse sistema e elas começam a se misturar um pouco e você não consegue mais alcançar esse tipo de personalidades distintas, individuais. Você desce profundamente e elas são todas parte da mesa raiz e você desce ainda mais fundo e você ainda está naquela “zona irlandesa”… mas, no nível abaixo, que poderia ser o nível arquetípico universal, o nível do inconsciente coletivo comum a toda humanidade, o tipo de nível da “deusa negra”.

Todos os nomes com os quais nos conectamos com a Mórrígan, sob o estandarte da “Grande Rainha”, estão conectados pelo nível mais profundo, mas nós podemos (e fazemos) também uma interação com elas individualmente, no dia a dia. Eu definitivamente não seria favorável (ou não teria permissão, eu levaria um “pé na bunda”) de agrupá-las todas juntas, ou apenas trocar uma pela outra.

Pois é, não tentem isso em casa, crianças.

Ávillys mac Mórrigan (Dartagnan Abdias)
Antropólogo, cientista da religião, druida, pagão e oraculista.

Mundi Tempus
https://www.facebook.com/munditempus

Leanaí an Ghealach Clann
https://lagjf.blogspot.com

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon : Caer Siddi e seus respectivos autores. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Referências bibliográficas e sites consultados na pesquisa dos textos, clique aqui.

"Três velas que iluminam a escuridão:
Verdade, Natureza e Conhecimento." Tríade irlandesa.