Transformações Interiores

Cada vez mais vejo pessoas centradas nos seus enormes umbigos, buscando apenas respostas para suas “crises existências”. Sem perceber, se perdem por um mundo fantasioso, por vezes, criados em suas mentes conturbadas e quase sempre alimentadas por uma explosão de informações distorcidas pela mídia. Sim, a mídia faz muito bem o papel de alardear o “caos” e toda a negatividade que o homem tanto aprecia.

Em vista de toda essa incerteza é quase impossível se criar um clima positivo, onde possamos viver plenamente!

Esse viver plenamente é descobrir-se INTEIRO em si mesmo. Isso inclui o AMOR próprio, em primeiro lugar, não de forma egoísta, mas de uma forma íntegra e honesta.

Essa integridade do ser é a busca constante pelo equilíbrio através da natureza que o cerca. Pensando nisso, ao comungarmos com Ela, essa força criadora, que chamamos de Deusa ou Deusas, vamos percebendo, aos poucos, que a vibração do TODO também faz parte de cada um de nós.

Há pessoas sofrendo no mundo, sim! Mas há também aqueles que despertaram para uma nova realidade e conseguiram transformar suas vidas, mesmo depois das grandes tragédias naturais.

Mas como um ser UNO, que somos, neste mar de tantas afinidades, vamos, com certeza, absorver toda essa angústia, em determinado momento – tema que vire e mexe vem à tona.

O ponto central de tudo é criar a coragem necessária para enfrentar suas maiores aflições, principalmente, aquelas geradas pelo medo. Isso é básico… É puro instinto de sobrevivência!

Por que as pessoas têm tanto medo de morrer? Só vejo dois motivos: o medo do desconhecido e o apego, seja aos entes queridos ou aos bens materiais. Para aqueles que vivem em harmonia com todas essas coisas, com certeza, poderão levar daqui as mais belas recordações, ao passo que os que vivem alienados ou até mesmo “dopados” por uma falsa realidade, só poderão levar ao mesmo lugar: a ilusão.

A coragem de enfrentar o medo é uma das características mais marcantes dos antigos povos celtas, principalmente das mulheres guerreiras, que nada temiam, nem mesmo a morte, simplesmente, por ela ser natural e inevitável.

Mudar interiormente se torna imprescindível nos dias atuais, pois a única certeza que temos é o AQUI e o AGORA. Portanto, todas as transformações nos levarão ao próximo nível de consciência, fechando assim um ciclo para se iniciar outro. Encerro essa reflexão com a inspiração de Hilda Ellis Davidson: “É necessário percorrer o oceano ao redor das terras, deixar o sol e as estrelas para trás, viajar em meio ao caos para entrar numa terra onde a luz e o escuridão reinam eternamente em equilíbrio.” Que assim seja!

Bênçãos plenas do Céu, da Terra e do Mar!
Créditos da imagem: Boadicca de Luca Tarlazzi

Rowena A. Senėwėen ®
Pesquisadora da Cultura Celta e do Druidismo.

Website:
www.templodeavalon.com
Brumas do Tempo:
www.brumasdotempo.blogspot.com
Três Reinos Celtas:
www.tresreinosceltas.blogspot.com

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon : Caer Siddi e seus respectivos autores. Referências bibliográficas e sites consultados na pesquisa dos textos, clique aqui.

"Três velas que iluminam a escuridão:
Verdade, Natureza e Conhecimento." Tríade irlandesa.